Já o jornalista Everton de Paula une beleza e paladar em sua pousada na Vila de Cocais. Ele cultiva flores comestíveis, conhecidas no Brasil como capuchinhas, chagas de Cristo ou culiárias. Embora vindas do Peru, são chamadas no México de agrião mexicano. Elas têm varias as colaborações e um gosto meio azedo e picante.Acredito que sejam parentes do agrião, pois tem o mesmo ardume, arrisca Everton.Uma coisa e certa: quem gosta de agrião vai gostar da capuchinha.O cozinheiro aproveita de tudo. A folha e o caule servem para fazer, doce que leva cenoura, banana e beterraba; já a flor decora saladas e produz um licor de primeira. Fazemos até omelete, garante.

Everton não vende suas flores, mas lembra que em São Paulo elas podem ser encontradas ao preço médio de R$8,0 a dúzia. Quem produz muito é o ator Lima Duarte, informa.

O jornalista Everton de Paula, de 47 anos, trabalha com frutas tropicais há apenas três anos, mas já extrapolou sua produção de jabuticaba, passando a fabricar também derivados da pinga e da amora. Nos fundos de sua pousada, vizinha a casa de seu Lulu, ele mantém uma área com pés de pitanga e amora e outro espaço usado para receber turistas para degustação. Everton esclarece que a pitanga e a amora têm enorme potencial de exploração, mas não há incentivos governamentais para o cultivo. Ás duas são nativas desta região, mas as pessoas, a maioria de origem simples, não recebe apoio por parte da prefeitura, comenta.

Entre as atrações, esta o licor de amora que, devido ao gosto adocicado, tem muita saída junto ao publico feminino. Já o licor de pitanga, de teor alcoólico maior, satisfaz mais aos homens. Com relação às jabuticabas, Everton prefere comprar as frutinhas do quintal de pequenos produtores como seu lulu. Para dar frutos, há pés que levam de oito a 12 anos. Não vale a pena, afirma. O aluguel de um pe custa de R$25,00 a R$50,00. A produção do jornalista é de 3 mil litros de vinho, 1,2 mil garrafas de licor e 250 potes de geléia por ano. Recentemente, ele introduziu o vinagre da jabuticaba á sua produção, utilizado para temperar saladas e lavar verduras. O vinagre é obtido da casca da fruta, explica.