Reserva Espiritual


  Conjunto Histórico e natural da Região do Caraça oferece muitas opções de passeios ao visitante  

Das muitas Minas que surgem entre as montanhas que cortam o Estado, uma viagem imperdível é a visita á região no entorno do Parque Nacional do Caraça. Religião, espírito de introspecção, reflexão e ainda um contato direto com um fascinante ecossistema se misturam neste roteiro. Uma viagem curta, um pouco mais de 100 quilômetros, que pode ser feita em um fim de semana, e que transporta o visitante á tranqüilidade do lugarejo como Cocais, distrito de Barão de Cocais, á fascinante paisagem barroca de Santa Bárbara, Catas Altas e á exuberância verde do Santuário do Caraça, localizado a 1.400 metros de altitude.

Mas para a viagem sair como planejamos, não basta arrumar as malas e sair rumo ao Caraça. Sua viagem pode virar um pesadelo se não se adequar á sistemática dos pontos turísticos.

O Santuário do Caraça é regido por rígidas leis de comportamento. Cafés, almoços e jantares são servidos pontualmente. Se perder a oportunidade de se alimentar nestes horários, terá que se contentar com petiscos vendidos na lanchonete ao lado do santuário - se ela estiver aberta, é claro. O turista também deve entrar no clima do lugar. Se estiver á procura de algo mais agitado, tipo noitadas, é melhor mudar de rumo. O Caraça não é para isto. O Santuário religioso é um convite á reflexão e ao autoconhecimento.

Se o objetivo é mesmo algo mais descontraído, porém ainda no clima pacato da região, uma boa dica é e hospedar no distrito de Cocais, há uns 20 quilômetros do Caraça. Além das dezenas de belíssimas quedas d’aguas que o lugar possui muitas delas fáceis de se chegar -, e da possibilidade de encontrar um acervo enorme de pinturas rupestres no Sítio Arqueológico da Perda Pintada, em Cocais, mais precisamente na Pousada das Cores (31 3837-9186), é onde o visitante irá encontrar melhor culinária da região. É desafio encontrar algo mais saboroso do que as especialidades preparadas na pousada. É uma comida simples, mais com um toque de exotismo. Ervas, temperos diferentes e flores comestíveis dão um toque especial á receita tradicional da culinária mineira. Indo lá, não deixe de provar o feijão com temperos exóticos. Só vale um lembrete, mesmo sem a rigidez do Caraça, bagunça e agitação não combinam com o lugar.

Por fim, para os amantes das artes, a região reserva inúmeros de tesouros aos admiradores de estilos de artes como o barroco, o rococó e o neogótico. Mas nenhum deles é tão impressionante como a Matriz Nossa Senhora da Conceição de Catas Altas. Lá, por ironia do destino e pela decadência das irmandades do ciclo do ouro da região, o templo ficou inacabado deixando visível as etapas de construção de um monumento religioso. Desde o entalhe da madeira dos altares, até o douramento. Ainda em Catas Altas, não deixe de conferir a Igreja de Santa Quitéria. Por causa da beleza do lugar, ela acabou virando um dos cartões postais mais bonitos de Minas, tendo ao fundo a Serra do Caraça e o pico de Catas Altas.

Informações Turísticas

Caraça - Fica a 120 km de BH, acesso BR 262 até saída para Santa Bárbara, passando por Barão de Cocais e seguindo 26 km. Tem área de 1.187 hectares. Possui vegetação de campos rupestres nas áreas mais altas, além de formação campestres nas regiões mais baixas, com predominância para vegetação herbácea. Os ecossistemas são mata atlântica e cerrado. Importante patrimônio natural e religioso, localizado na porção sul da cadeia do Espinhaço, em Catas Altas, a 27 quilômetros desta cidade.

Possui grutas, cachoeiras, lagos e montanha, além do antigo santuário construído em 1774 pelo irmão Lourenço e doado aos missionários lazaristas. Ali foi construído a primeira Igreja Neogótica do País. Informações: (31) 3837-2698.

Sítio Arqueológico da Pedra Pintada- localizado na Vila de Cocais, a 6 quilômetros de Barão de Cocais, é importante pelas pinturas rupestres da arte pré-cambriana, datado de 600 a.C. Possui desenhos semelhantes aos encontrados na gruta de Lascaux (França). São 122 pinturas legíveis apresentadas em três painéis. As visitações têm que ser feitas com ajuda de monitores. Informações: (31) 3837-2524.

        Matéria Publicada no Jornal Estado de Minas no Caderno Divirta-se em março de 2004
Sérgio Rodrigo Reis
Fotos - Divulgação